30 de julho de 2009

Separar as águas

É importante que, por esta altura, os meios de comunicação social identifiquem claramente os intervenientes das notícias. Por esta altura, mais de metade das notícias que são publicadas tendo como actor o governo, são, na realidade, produzidas pelo PS.
É importante perceber que, em democracia, não é o governo que está em campanha eleitoral mas sim os partidos políticos pelo que não é aceitável que as promessas que agora proliferam tenham a chancela do governo. Para isso, recordamos que o programa eleitoral que há quatro anos e meio foi sufragado pela maioria dos eleitores portugueses tinha como horizonte os quatro anos e meio seguintes. Logo, as promessas que agora nascem nas árvores para o próximo ano pertencem, antes de mais, ao PS e têm como objectivo apenas e unicamente conquistar votos.

Sem comentários: