11 de dezembro de 2007

O martírio dos sociólogos

Na esteira dos grandes estudos realizados em Portugal, a ANECRA (Associação Nacional das Empresas do Comércio e Reparação Automóvel) desenvolveu um documento de grande utilidade sobre o número de veículos automóveis per capita. Mais, apresentou-o publicamente. De resto, a complexa investigação consistiu em apurar o número de automóveis e dividi-los pelo número de cabeças existentes em cada Distrito.

Mas a excepcionalidade da coisa parece estar na análise do autor do estudo. Augusto Bernardo conclui que o Distrito de Leiria é aquele onde há mais veículos automóveis por habitante e remete a explicação para a pujança económica daquela zona do país. Dois mais dois…

Acontece que, não resistindo à tentação de considerar o vigor económico de uma região como a única variável potencialmente independente, Augusto Bernardo excluiu variáveis como as estruturas existentes de transportes colectivos, a dispersão dos lugares, a cultura do individualismo e da afirmação social, o congestionamento de tráfego, a rede de estradas, a taxa de mobilidade diária, a percentagem de despesas com carros no orçamento das famílias e numa perspectiva comparada, etc. Mas nada disto significa que o senhor se tenha precipitado nas conclusões retiradas. Nem o contrário.

2 comentários:

K. disse...

deixa lá as variáveis, o senhor augusto deve ser de leiria!
abraço.

NV disse...

é bem visto!
A observação directa constante elimina as variáveis!