14 de agosto de 2009

Não tenho paciência

Dei uma curta volta por alguns blogues empenhados em mostrar o lado sofisticado e superior da cultura urbana, na qual campeiam as gentes com bom gosto e obcecadas pelas futilidades do costume, tipo «consciência social», os realizadores de cinema, os gostos dos outros, a última moda urbana, a poesia depressiva e outros tiques burgueses mascarados por um socialmente aceitável pós-materialismo.
Foda-se! E se fossem úteis?

7 comentários:

Anónimo disse...

quanta amargura

K. disse...

entendo e concordo. às vezes perde-se demasiado tempo em curtas voltas por blogues empenhados... mas é só entretenimento, e a única utilidade do entretenimento, é a de entreter. aquilo que é fútil ou inútil para uns, pode gerar umas boas horas de entretenimento para outros. da mesma maneira, aquilo que é útil para uns, também pode ser uma perda de tempo para os outros que não andam à procura de coisas sérias quando decidem dar umas curtas voltas por alguns blogues empenhados... enfim... a coisa resume-se às escolhas, aos minutos, aos cliques, às expectativas e ao crescente espaço virtual (eufemismo para lixo cibernético).
sem stress alex, foda-se! ;)

um abraço

Anónimo disse...

se não tens paciência, por que continuas aqui?

Anónimo disse...

O que é a poesia depressiva, segundo o teu conceito?

Anónimo disse...

Tiques burgueses quais?

Anónimo disse...

"Passamos pelas coisas sem as ver,
gastos, como animais envelhecidos:
se alguém chama por nós não respondemos,
se alguém nos pede amor não estremecemos,
como frutos de sombra sem sabor,
vamos caindo ao chão, apodrecidos."

Eugénio de Andrade

S disse...

deprimi-me