11 de setembro de 2006

11 de Setembro (I)





Há 5 anos, na sequência do que se aceita ter sido um ataque terrorista da exclusiva responsabilidade da Al Qaeda, quase 4 milhares de pessoas perderam as suas vidas em nome de nada. Quase todas, de forma particularmente dramática e dolorosa.
Apesar da existência de inúmeras perguntas por responder, certo é que, para as vítimas e para os familiares das vítimas, o sofrimento é e foi real...

2 comentários:

F P disse...

«do que se aceita...?»

ARV disse...

Nesse torvelinho de acusações, ausência de provas, provas de fé e teorias da conspiração (não só sedutoras como surpreendentemente difíceis de refutar), tem-se convencionalmente aceitado que a concepção e execução dos ataques é da exclusiva responsabilidade dessa organização terrorista liderada por uma criatura que não se sabe muito bem se existe.
Claro que, subsistem muitas dúvidas quanto ao avião que supostamente terá perfurado o pentágono, cujos vestígios de destroços não existem. Já para não falar que, a avaliar pelos estragos, esse tal avião deverá ter desacoplado asas e a cauda estabilizadora, muito antes de se despenhar…