10 de julho de 2007

à tout propos (272)

Talvez tivesse sido uma paragem de digestão, azia ou simplesmente atavismo. Daquele assim, digamos… prosaico, mesquinho e abespinhado com normalidades ultrapassadas há que séculos pela modernidade. Há sujeitos assim… ou melhor, predicados armados em sujeitos que se incomodam gravemente com, por exemplo, a música ambiente seleccionada para acompanhar a jantarada camone no nobre tabuleiro central da Praça de Giraldo. Para que estes senhores vindos lá do estrangeiro levem uma imagem de modernidade do país, nada como pregar-lhes com Enter Sandman dos Mettallica, a rufar pratos, talheres e com um bocadinho de sorte, a embelezar uma cena de pancadaria à antiga, para entreter a malta.

Mas para que nada faltasse, momentos depois, as cordas vocais dos do Teatro Regional da Serra do Montemuro e a atenção dos transeuntes eram postos à prova pelos automóveis, pelas motorizadas das pizzas e por galinhas vestidas com roupa de gente; pela tagarelice e pelo ruído, ou eram espanhóis ou galinhas. Disso tenho eu a certeza.

Felizmente, a Região de Turismo de Évora está muito atenta à qualidade, competências e profissionalismo dos operadores da restauração em Évora. Felizmente que a peça Splash do TRSM não foi exibida no separador central de uma auto-estrada.

1 comentário:

silk disse...

Lol!
Metallica é o menos, garanto-te que já por ali ouvi coisas piores que me fizeram parar uns segundos e abrir a boca, estupefacta! Que 'espectáculo' se montou ali na Praça, e à borliú, héin?!
;)