27 de setembro de 2007

Santana, o Ímpio

Mais ou menos extemporaneamente, mais ou menos espectacularmente, mais ou menos justificadamente, Santana Lopes protagonizou um episódio memorável na SIC Notícias. Para utilizar uma terminologia jornalística, o episódio é um verdadeiro furo. Por essa razão, não se compreende aquele pranto delator de Ricardo Costa, irmão de ministro e, por casualidade, director da estação televisiva em causa. A SIC Notícias criou um caso que, por coincidência, vai justamente de encontro a essa condição necrófaga e sensacionalista de grande parte da comunicação social.

Os principais órgãos de comunicação social sofrem de um mal estrutural que se ancora necessariamente no frenesim em produzir notícias em série, estar em todo o lado e a qualquer hora. Dizer o que é, o que não é e, o pior de tudo, o que deveria ser. 'taqueospariu.

Santana Lopes tem razão, a chegada do Mourinho ao aeroporto de Lisboa é bem mais importante para o desenlace do Mundo do que qualquer outro assunto sobre o qual um político falhado se poderia pronunciar. Santana sabe-o e teve a coragem de o dizer. Se não fosse a chegada do Mourinho seria a cor das meias da mãe da Maddie. Ou a nova gravata do Herman José.

Infelizmente, Ricardo Costa também tem razão. É perfeitamente «normal» que situações como aquela interrupção aconteçam em televisão. E, francamente, estúpidas. Se há algo a lamentar é o estado a que chegou a construção social da normalidade.
'taqueverdadeiramenteospariuatodos!!

2 comentários:

malmequers disse...

Acho fantástica a atitude de Santana!
Fez o que nenhum dos outros power men’s teria jamais coragem de fazer. Creio que da classe política ou pseudo-política que tem desfilado na tal passerelle do poder, aquele é dos poucos que está na política porque verdadeiramente acredita na arte da política e, isso incomoda!

NV disse...

Santana é o menino mal comportado, só diz e faz asneiras. Porém, é o único que não tem medo de assim ser.
Em determinados momentos é coerente consigo mesmo e não embarca no politicamente correcto.
Digamos que às vezes dá jeito.