21 de outubro de 2009

Os maus costumes de Saramago




José Saramago acusou a Bíblia de ser um «manual de maus costumes», como se o que lá está contido não fosse um repositório cultural da moral judaico-cristã que o habilita, ao Nobel, a produzir juízos de valor com base em noções de bem e mal. E como se essa própria moral não tivesse resultado da transcrição das normas e referências axiológicas aceites e encorajadas nas sociedades passadas e contemporâneas a tal transcrição. Persiste o anacronismo que frequentemente está associado à secularização da sociedade, mas essas são outras cantigas... A Bíblia, assim como a Torá (motivada pelos maus costumes dos judeus na Babilónia) e o Alcorão, são códigos nos quais vigora alto nível de simbolismo e metaforismo, podendo dar lugar a variadas interpretações. A de José Saramago é certamente uma. Tal como a de Bento XVI, a dos judeus ortodoxos, a do Patriarca de Moscovo ou a de Bin Laden. As que motivaram as cruzadas ou a Inquisição têm que ser vistas à luz do tempo histórico em que ocorreram. Pelo meio e sem acesso aos meios mediáticos para alardear o que bem entenderem estão multidões de crentes.

Por isso, vale a pena reparar em alguns dos costumes exaltados pela mitologia grega, suporte de toda a civilização ocidental.

Por dar o fogo dos deuses aos homens, distinguindo-os de todos os outros animais, Prometeu foi mandado acorrentar por Zeus no alto do monte Cáucaso para que o seu fígado fosse gulosamente debicado por um corvo (águia? abutre?). Repare-se que Prometeu era neto de Oceanus, filho de Urano que, por sua vez, era filho da Terra. Ora, no fundo, entre os deuses clássicos e titãs e outros, vigoram relações endogâmicas e nalguns casos incestuosas. A este respeito, é fundamental compreender que o incesto é um tabu universal. Por isso está interdito aos homens, incluindo aos homens gregos. Mas não aos deuses… É, em linguagem antropológica, um interdito. Assim como a homossexualidade, embora neste caso não seja universal como o demonstra a sociedade grega  [da Antiguidade Clássica] e, por exemplo, os rituais de felatio entre jovens Baruya na Papua Nova Guiné.

Mas, veja-se a promiscuidade da coisa – «maus costumes» - que, do ponto de vista sexual, está sempre presente nas aparições à socapa de Zeus na cama de toda a sorte de deusas e mulheres para conceber filhos ilegítimos (são também relatadas autênticas violações). E Afrodite, enfim, que nasce da fecundação dos testículos de Urano com o mar, depois de castrado pelo seu próprio filho, Cronos.



O agrilhoamento de Prometeu, Pieter Pauwel Rubens, 1610-11


Regressando a Prometeu, podemos aqui identificar a exaltação da racionalidade humana (o uso do fogo) por comparação com a irracionalidade dos outros animais. E o castigo de Zeus a Prometeu? Parece mais indiciar um «toma lá disto, para não te armares em espertinho...».

Ora, se os gregos tivessem desatado a reproduzir a conduta libertina e sanguinária dos seus deuses, dificilmente teriam dado ao mundo homens como Sócrates, Platão e Aristóteles. Ou Demócrito, Heraclito, Pitágoras, Diógenes, Solon, Fídias, Homero e Pericles. Nem nós teríamos dado à literatura o José Saramago.




Nota final: defender o multiculturalismo e a liberdade, vituperando a liberdade  de outros tem correspondência com integrar as listas de um partido e apelar ao voto em branco. Independentemente dessas incoerências, Saramago tem obviamente direito à opinião.

12 comentários:

Anónimo disse...

O que são bons costumes? O que são maus costumes?

Anónimo disse...

Saramago tem o direito de dizer a sua opinião acerca da Biblia.

Qualquer pessoa tem o direito de dizer a sua opinião relativamente a qualquer livro.

Qual é a grande polémica?

Anónimo disse...

saramago tem todo o direito de dizer aquilo que quiser. o papa também. mas apesar de ter todo o direito à opinião não quer dizer que aquilo que possa dizer ao mundo é particularmente válido. a biblia é uma narrativa. mas isso, saramago não consegue perceber ao contrário daquilo que se poderia esperar de um escritor. a biblia tem tão maus costumes como bons. e depois? o anticlericalismo de saramago é tão primário como o anticomunismo de alguns. talvez por isso é que venda tanto. quem era saramago antes do «envangelho segundo jesus cristo»?

Anónimo disse...

Qulaquer pessoa pode ou não gostar do que saramago disse, pode ou não concordar com ele, e depois?

Se tivéssemos todos a mesma opinião, isto era um tédio.

Que haja muitos "saramagos" por ai que contestem, que façam as pessoas discutir ideias,que ponham em causa as normas e leis vigentes

Porra, precisamos de gente não uniformizada

Alexandre disse...

A liberdade de expressão e de pensamento é um valor inquesyionável. Por isso é que Saramago procurou desdramatizar ontem - em «debate» muito cordato com o padre Carreira das Neves - os comentários e sentenças dos últimos dias. E, nalguns casos, reconheceu ter-se excedido (quer no livro, quer naquilo que ele designou como um dia em estava de mau humor).

Ora, não significa que Saramago não pense da forma que procurou transmitir no livro (apesar de me parecer demasiado preocupado com a Igreja, para um ateu). Mas significa que as pessoas visadas lhe merecem respeito. Aliás, Saramago começou por esclarecer que ele está impregnado de valores cristãos. Nem podia ser de outro modo. Agora, será isso motivo suficiente para dizer que Saramago tem maus costumes ou é sanguinário, generalizando a condição de um indivíduo a partir dos livros que lê?

Anónimo disse...

22:28

Há um livro que gosto muito de Saramago "Ensaio sobre a Cegueira".
É uma boa opção de leitura

Anónimo disse...

http://videos.publico.pt/Default.aspx?Id=5de792d5-1862-48e1-b8a7-0cc164bc0b3a~

"O ser humano é mais piedoso que o deus da biblia"

"Deus criou o mundo em seis dias, ao sétimo descansou, até hoje"

Saramago é soberbo

Anónimo disse...

Quando escrevo soberbo, quero dizer, fantástico, grandioso

Anónimo disse...

«o ser humano é mais piedoso que o deus da biblia»? Antes de haver biblia já os seres humanos eram doutorados em crueldades. só por ignorância se pode dizer isso.
Acho que o post é acertado. O José Saramago deu um tiro no pé porque está a tratar a biblia como se fosse um cristão indignado com a Igreja.
Claro que tem todo o direito de dar as suas opiniões. Por isso é que não é preso nem perseguido.

E se o papa acusasse o Saramago de fascismo por ver no Ensaio sobre a Cegueira uma manifestação de superioridade da raça? Significaria que não leu a obra ou leu mal. E nós, que até gostámos, sentir-nos-íamos injustamente agredidos pela ignorância desse senhor.

Anónimo disse...

O ser humano é tão capaz do pior como do melhor (ensaio sobre a cegueira)

Anónimo disse...

@20:30

Exacto! Por isso é que dá vontade de dizer que não é a bíblia mas sim o ser humano que é um repositório de maus costumes. E de bons também. Porque a Bíblia não foi feita por Deus mas sim pelo homem, espécie à qual pertence José Saramago.

bida disse...

http://ipsilon.publico.pt/livros/texto.aspx?id=243802