24 de janeiro de 2008

Duplo homicídio

Pior do que serem funcionários públicos ou, até mesmo, zelosos serviçais de governos em democracia, é a independência dos magistrados discricionários e os pulhas que defendem o livre-arbítrio da assimetria institucionalizada!

Entretanto, inconformado com a podridão
que envolveu O Processo, Kafka encontrou a solução para "K", indicando-lhe a única forma de ver devolvidas a humanidade e a dignidade impiamente roubadas por uma das mais sinistras e repugnantes faces das civilizações. Isto acontece quando e sempre que a justiça chã dos homens distorce a magna justiça das coisas.

1 comentário:

K. disse...

pena é que "a magna justiça das coisas" esteja só ao alcance dos (quase) dEUSES. pena é que os (homens) cegos não queiram ver esses pulhas de quem falas e, estes, quais robins dos bosques dos tempos modernos, vão transformando tudo o que podia ser magno - mas não é, num lamaçal de justiça ao serviço dos bons costumes cá do burgo e das belas panças dos seus burgueses.

assina aquele que dá pelo nome de K. mas podia responder por Raskolnikov.

um abraço.

p.s. bom ano!